Saúde
Now Reading
Malhando o Cérebro!

.

(por: Lilian Novais)

MALHANDO O CÉREBRO

Quando se deseja aumentar o desempenho físico e obter melhorias na saúde, encontramos a atividade física como melhor alternativa para atingir tais resultados. Já é sabido a muito tempo, o benefício de realizar atividades que estimulam nosso corpo, mas, além dos músculos, o que mais podemos melhorar no nosso corpo, através de exercícios? O cérebro! A neuróbica é a ginástica para o cérebro, um novo conceito de atividade, que visa melhorar a capacidade cerebral de memorização, concentração e raciocínio, através de exercícios. As técnicas utilizadas foram sugeridas a partir dos estudos da neurociência sobre formação e funcionamento das sinapses. Sinapse é o mecanismo de transmissão de impulsos nervosos. É através dessa transmissão de impulsos nervosos de um neurônio a outro, que nosso corpo identifica sensações, envia comandos aos membros, coordena as atividades do corpo, da memória, do raciocínio, etc.

95685Como funciona?
A neuróbica parte da prerrogativa de que quanto maior o uso, maior a eficiência do sistema. O maior uso das conexões neuronais favorece o surgimento de novas conexões e acarreta um aprimoramento das já existentes. Isso agiliza o processamento de informações e, portanto, a resposta cerebral. Segundo a neuróbica, o melhor caminho encontrado para o estímulo das atividades cerebrais é uma mudança no hábito de agir de maneira decorada e automatizada.
Tirar o cérebro da zona de conforto que é sempre repetir as mesmas tarefas da mesma forma, estimula-o a procurar outra forma de desempenhar a mesma função, utilizando outros meios. Seu cérebro, diante de tantas repetições, não precisa trabalhar muito para mover o mouse com a sua mão de domínio (direita para os destros, esquerda para os canhotos), no entanto, o nível de dificuldade aumenta quando a tarefa é realizada com a outra mão. Já o aumento do uso sensorial nas atividades cotidianas, aumentaria a quantidade de áreas utilizadas para um mesmo fim. Ao conhecer uma pessoa ou objeto, se associarmos a essa lembrança o cheiro, a aparência, a textura, o som, ou o sabor, as diferentes áreas do cérebro correspondentes aos sentido utilizados terão de trabalhar em conjunto, para memorização e recuperação de tal lembrança. E além do estímulo direto, essas atividades fazem com que as células nervosas produzam nutrientes naturais do cérebro (neurotrofinas), o que pode aumentar significativamente o tamanho e complexidade das dendrites das células nervosas, que são como “extensões” do neurônio, responsáveis pela captação dos estímulos.

Como pratica-la?
A psicóloga Paula Teixeira Fernandes, doutora em Neurociências pelo departamento de Neurologia da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), explica que esses exercícios têm o objetivo de manter um nível constante de capacidade mental, inclusive com o passar dos anos. Já o professor associado de Neurologia da Unicamp e doutor em Neurociências pela Mcgill University, Canadá, Li Li Min acredita que a ginástica cerebral está na existência de estímulos contínuos. Sendo assim, existe a necessidade de desenvolver exercícios praticáveis e que possam ser realizados de forma simples, a qualquer momento e por qualquer pessoa. Então, a neuróbica não impõe novas atividades à rotina, mas sim, mudanças simples na forma como realizamos as atividades cotidianas.
Veja alguns itens simples de serem realizados e experimente adotar alguns à sua rotina. Além de terem esse potencial benéfico ao cérebro, os exercícios são até mesmo divertidos, não exigem um treino específico, lugar ideal, nem rigidez no treino:

Estímulo motor:
Vista-se de olhos fechados;
Inverta o lado que utiliza o mouse;
Escove os dentes utilizando as duas mãos;
Arrisque escrever com a mão que não utiliza;
Ande de trás para frente, nem que seja na própria sala de casa.

Estimulando a memória e a cognição:
Utilize um percurso diferente do habitual, quando sair;
Leia o dicionário e aprenda novas palavras. Utilize-as no seu dia a dia;
Leia uma palavra e pense em mais 5 que comecem com a mesma letra;
Experimente jogar qualquer jogo ou praticar qualquer atividade que nunca tenha tentado antes. E se gosta de games de estratégia, experimente os de ação e vice-versa;
Memorize aquilo que precisa comprar no supermercado, em vez de elaborar uma lista;
Faça o mesmo, na medida do possível, com os compromissos diários;
Ouça as notícias na rádio ou na televisão quando acordar. Durante o dia escreva os pontos principais de que se lembrar;
Procure um quebra-cabeça online e cronometrando o tempo, veja se progride. Utilize imagens diferentes.

Estímulo sensorial:
Olhe as horas através de um espelho;
Use o relógio de pulso no outro braço ou mesmo de cabeça para baixo;
Experimente ler de trás para frente ou com o livro de cabeça para baixo;
Veja fotos invertidas e procure detalhes que nunca havia notado;
Veja uma imagem chamativa em uma revista qualquer e procure atribuir o máximo de adjetivos que conseguir;
Ouça música, tentando diferenciar o som que cada um dos instrumentos faz separadamente;
Estimule o paladar, comendo comidas diferentes e usando temperos novos;
Quando comer fora, tente descobrir através do sabor, os temperos que compõem o prato. Confira com o garçom se você acertou.

Outra observação que os especialistas fazem a respeito de saúde cerebral, é manter a qualidade de vida em dia. Afinal, dificilmente se tem um cérebro saudável, em corpo enfermo. Uma alimentação balanceada, exercícios físicos regulares, uma vida menos estressante, busca de equilíbrio emocional e nas relações sociais, tudo isso colabora de maneira indireta para sua saúde mental.