inControl
Now Reading
Automodelismo parte II – O Básico

Automodelismo II – O Básico  (por: Bushido

Olá, amigos modelistas!  (se você não viu confira a Parte I)

carautomod001Vamos ao segundo artigo da série sobre Automodelismo. Este será mais voltado aos iniciantes, ou àqueles que querem iniciar no hobby. Vamos falar do básico sobre Automodelismo. 

Primeiro, temos que lembrar que existem 3 tipos de automodelismo, sendo o Onroad, o Offroad e o de fenda. Como não conheço muito sobre automodelismo de fenda, ou autorama, vou me concentrar aqui no automodelismo rádio-controlado, ou R/C. 

Sobre os tipos de automodelismo, podemos citar dois: o OnRoad e o Offroad. Os nomes são auxo-explicativos: Onroad quer dizer “na estrada”, e Offroad significa “fora de estrada”. As diferenças principais entre os dois tipos são a suspensão, que no Offroad é mais alta e com maior curso, e no Onroad é mais baixa, mais firme e com menor curso; 

automodelo-off-road-eletrico-110-rtr-partir-de-r69999_MLB-O-209258106_4771Em seguida, podemos analisar os diferentes componentes, iniciando pelos tipos de motores. Temos motores à combustão, os elétricos escovados (brushed) e os elétricos não-escovados (brushless). Os motores à combustão têm como desvantagens o acerto complicado, o barulho (que não chega a incomodar os modelistas, mas é um inferno para outras pessoas) e o cheiro forte (especialmente nos motores à base da mistura gasolina +  óleo 2-tempos). Como vantagem, temos uma grande autonomia, desde que tenhamos combustível o suficiente. Os motores elétricos são muito silenciosos e não exalam qualquer cheiro, mas a autonomia depende da amperagem e do número de baterias disponíveis. Os motores escovados tem, normalmente, mais torque, menor velocidade final e vida útil mais curta, enquanto os não-escovados têm menor torque, maior velocidade final e vida útil mais longa. 

Sobre o tipo de força que move os modelos, os com motor à combustão podem ser movidos à metanol, com porcentagens de nitrometano e óleo 2-tempos. A proporção de nitrometano pode variar, sendo o padrão igual a 20%. Igualmente, a proporção de óleo também é variável, e pode ser de mamona, rícino, etc. Para motores elétricos, temos vários tipos de baterias. As mais usadas são as de NiMH (Níquel-metal-hidreto), que têm normalmente uma tensão de 1,2V por célula (“pilha” que compõe o conjunto) e amperagem também variável. São menos usadas pois a tensão, para carros RC, normalmente é fixa em 7,4V, além de terem um efeito memória muito elevado e a taxa de descarga muito alta. Já as de LiPo (polímero de lítio) são as preferidas, apesar de mais caras. A tensão de cada célula é de 3,7V, e pode vir na configuração de 1S, 2S, 3S, 4S, 6S ou 8S (o “S” quer dizer o nº de células). Baterias LiPo com mais células pedem ESC’s (controladores eletrônicos de velocidade) mais resistentes. 

Sobre o tipo de tração, existem os 4WD (ou 4×4), e os 2WD (ou 2×4). Os 4WD são mais usados para bashing (percurso offroad indefinido, em campo aberto), drifting (percurso onroad em circuito, com “derrapagens controladas”) e rock climbing (escalada em pedras). Os 2WD são usados em corridas em circuitos offroad e bashing, mas não são tão populares. 

Sobre os eixos e suspensão, a maioria possui suspensão independente, com braços e semi-eixos, mas alguns modelos, especialmente para rock climbing, têm eixos inteiriços, para melhorar a performance em pedras. 

Na verdade, existem muitos outros pontos para se citar, mas como pretendo apresentar apenas o básico, vou parando por aqui. Até a próxima matéria da série Automodelismo! 

continuar lendo… parte III